terça-feira, 9 de dezembro de 2014

astral




Eu passei a vida inteira pensando que era libra com ascendente em libra. Pra quem não sabe: parece que depois dos 30 você é muito mais seu ascendente do que seu signo original – o que é uma injustiça porque eu realmente gosto de ser libriana. Enfim. Descobri que meu ‘’novo ascendente’’ é peixes e estou tentando administrar isso.

Tenho uma grande amiga de peixes, mas não sei o que significa. Pergunto e ela responde que é feliz com isso porque desde que entrou em sintonia com o próprio astral passou a compreender melhor o seu-eu. Digo que quero compreender o meu-eu também, mas ela só responde que quando você respeita o ciclo do mundo ele simplesmente te abraça. Continuo sem entender.

Lembro de quando era mais nova e paquerava com um artista canceriano que dirigia uma Caloi Fiorentina. Ele falava do seu combo família-lar-noites de tormenta e eu achava poético, mas não tanto. Depois conheci um escorpião cujo as palavras chaves eram sedução-maconha-carboidrato depois as 6. Fui morar com ele.

Gostaria de ter o ascendente em virgem, pois meu novo trânsito astrológico disse que estou numa boa hora para arrumar o guarda-roupa. Faz uns seis meses que afasto o meu eu-organizado, mas realmente não consigo escolher entre viver na bagunça ou inibir a minha personalidade. Isso é tão libriano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agora, me conta uma coisa você.