sexta-feira, 28 de agosto de 2015

dia bom



já os dias bons precisam de música. começam com belchior dando um tapa matinal na sua cara, mostrando que amar e mudar as coisas interessa mais do que o mau-humor provocado pelo alarme do celular. por falar nele, dias bons tendem a fazê-lo tocar na hora do almoço para que você ouça a voz de alguém que diz vamos-almoçar-juntos-hoje? duas horas (e meia) de risadas e recargas de energia para o segundo tempo do expediente. mas dias bons jogam na sua timeline um vídeo que mostra mil músicos tocando o clássico de uma das suas bandas preferidas. no meio da noite desse dia bom, você é capaz de salvar a amiga de um assalto enquanto ouve, ao vivo, jorge du peixe dizer que só tem caranguejo esperto saindo desse manguezal. ao chegar em casa, um dia bom continua te presenteando com o ‘’no, woman no cry’’ que vem do vizinho.



*o dia bom pode durar de 24 horas a seis meses, dependendo do que aparecer no modo aleatório do seu spotify.


leia dia ruim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agora, me conta uma coisa você.